RPet Tutora apanha de dona de petshop, após busca por animal desaparecido

Tutora apanha de dona de petshop, após busca por animal desaparecido

Pandora estava desaparecida desde o dia 2 de setembro depois ter sida deixada para tomar banho em estabelecimento em Suzano

  • RPet | Do R7, com informações da Record TV

Resumindo a Notícia

  • Insira aqui um item de resumo.
  • Insira aqui um item de resumo.
  • Insira aqui um item de resumo.
  • Insira aqui um item de resumo.
Pandora foi encontrada dois dias depois do desaparecimento

Pandora foi encontrada dois dias depois do desaparecimento

Record TV/Reprodução

Segundo as informações divulgadas no Balanço Geral, desta sexta-feira (9), Vanessa Pessoa de Amorim, 41 anos e Camila Pessoa de Amorim, 36 anos, foram vítimas de agressão no Mundo dos Pets, um petshop no município de Suzano, na Grande São Paulo.

Elas afirmam que foram agredidas após irem em busca de informações da cachorrinha de estimação que desapareceu após ter sido deixada para o banho, no dia 2 de setembro.

Durante dois dias de busca, as jovens compartilharam o caso nas redes sociais. Elas foram atrás do paradeiro do animal por conta própria, que só foi localizado no domingo (4). Neste período, elas também receberam diversas mensagens com denúncias acusando o pet shop de maus-tratos contra os animais.

Como aconteceu com Bob, um cão da raça shitszu. Os donos denunciam que animal ficou cego após ter sido levado ao estabelecimento para banho e tosa. Com a repercussão dos casos, a vigilância sanitária do município interditou o local na quinta-feira (8) por tempo indeterminado.

Local foi interditado pela Vigilância Sanitária na quinta-feira (8)

Local foi interditado pela Vigilância Sanitária na quinta-feira (8)

Record TV/Reprodução

Segundo Mauro Vaz, coordenador da Vigilância Sanitária de Suzano, o local estava com a licença da Vigilância Sanitária vencida e com estrutura inadequada, como falta de higiene e desorganização. Além de não ter extintores e armazenamento e registros incorretos de medicamentos na unidade. "Os dados dos medicamentos controlados não estavam batendo com o livro que controla as informações desses remédios e, apesar do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) ter sido emitido, o local não apresentava extintores contra incêndio", destacou Mauro Vaz em nota da Prefeitura de Suzano.

Últimas