RPet Mau hálito nos cachorros é sinônimo de problema bucal; saiba como cuidar dos dentes de seu pet

Mau hálito nos cachorros é sinônimo de problema bucal; saiba como cuidar dos dentes de seu pet

Os cães, assim como os humanos, devem fazer higiene dentária diariamente para evitar doenças comuns e até algo mais grave

  • RPet | Do R7

É importante cuidar da saúde bucal de cães para evitar doenças

É importante cuidar da saúde bucal de cães para evitar doenças

Mithul Varshan/Pexels

Ao contrário do que a maioria dos tutores pensa, não é normal um cachorro ter mau hálito. Segundo especialistas, é possível cuidar da saúde bucal de cães, a ponto de controlar o famoso "bafinho", além de evitar algumas doenças dentárias comuns e até outras mais graves. Em conversa com o RPet, especialistas falam sobre o assunto e contam curiosidades a respeito do "sorriso" dos bichos.

Segundo Carla Girardi, dentista veterinária da Pet Care, o cheiro ruim na boca dos cães é sinal de algo errado. "É um indicativo de que o pet tem a presença de placa bacteriana, tártaro, problema bucal ou algum outro problema de saúde, como a uremia [elevação de ureia no sangue]", explica.

A forma mais simples de fazer seu cachorro não ter esses problemas é a escovação diária. "E também fazer uso de alimentos balanceados, que evitam a calcificação da placa bacteriana, e de brinquedos e mordedores adequados. E sempre checar os dentes dos animais. Caso haja algo diferente, entre em contato com seu médico-veterinário de confiança", afirma o veterinário André Nunes.

Fora isso, há petiscos formulados para a saúde bucal dos bichos. "A textura dos petiscos criados para ajudar na limpeza dos dentes dos cães é diferente. Enquanto os petiscos convencionais se partem assim que são mordidos, os petiscos aliados da saúde oral para cães são atravessados pelos dentes, promovendo, assim, a retirada das sujeiras", detalha Carla.

Cães pequenos, mini e toy têm mais problemas dentários

Para Carla, é fundamental ficar de olho nas atitudes diferentes de seu pet, que podem ser um indicativo de que algo está errado. "Os cães também podem ter dor de dente. Eles demonstram o incômodo ao esfregar a patinha na boca ou a face no chão. Outros sinais podem ser tristeza, apatia, irritação, perda de apetite, dificuldade para comer ou mastigar usando apenas um lado da boca, salivação em excesso, inchaço na boca e, claro, mau hálito", ensina.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

A veterinária conta, ainda, que cães de porte pequeno, como poodle, lulu-da-pomerânia, pinscher, chihuahua, yorkshire e maltês, estão mais propensos a desenvolver doença periodontal e outros problemas dentários. "Suas bocas são pequenas, o que resulta em pouco espaço para os dentes, fazendo com que fiquem mais próximos uns dos outros", descreve.

Cães têm mais dentes do que os gatos

Os tutores devem escovar os dentes de cachorros

Os tutores devem escovar os dentes de cachorros

Freepik

Diferentemente dos humanos, cães trocam os dentes muito cedo, dos 3 aos 6 meses de vida. "Filhotes costumam passar por um período conhecido como dentição, quando os dentes de leite são substituídos pelos permanentes. Nessa fase, alguns pets podem ficar irritados ou apresentar necessidade de mastigar e morder para aliviar o desconforto na gengiva”, diz Carla.

A saúde bucal, além de evitar doenças, é importante para saber a idade de um cão, por exemplo, que foi encontrado abandonado na rua. "É possível estimar a idade dos cães jovens observando seus dentes. À medida que envelhecem, o desgaste dentário também pode fornecer pistas sobre a idade."

Outra curiosidade sobre cachorros é que eles têm mais dentes do que gatos. "Eles são onívoros (ou seja, comem de tudo), têm 42 dentes na fase adulta; os gatinhos têm 30. No entanto, os dentes de gatos são bem mais afiados e pontiagudos, por eles serem carnívoros estritos”, define Carla.

Doenças bucais mais comuns nos cachorros

Todo esse zelo pelos dentes de cães é uma maneira de evitar doenças bucais. As mais comuns são gengivite, tártaro, lesões endodônticas e doenças periodontais. "A ausência de cuidado com a boca do cão pode levar a sérias doenças sistêmicas e afetar rim, coração e até articulações", alerta Nunes.

Caso o cachorro acabe com alguma enfermidade nas gengivas e nos dentes, os tratamentos variam. "Pode ser resolvida desde uma simples remoção do tártaro e uso de antibióticos sistêmicos ou locais até mesmo a extração do dente quando se trata somente da doença bucal", lista o veterinário.

VEJA TAMBÉM: Casal veste cachorra e filha sempre combinando, e looks viralizam nas redes; veja os mais fofos

Últimas